25 de jun de 2008

Dowload Filmes Completos com Trilha Sonora Gratis

O Celso Junior botou um post falando de quem baixa filme na internet com o título DOWLOAD FILMES COMPLETOS COM TRILHA SONORA GRATIS.
Só que o papo dele foi mais para atrair clicadores compulsivos, já que além de não dar nenhuma dica sobre baixar filme, ele ainda enveredou por um papo estranho e acabou citando até a dercy Gonçalves, além da Vivi Fernandez, Marcia Imperator, regininha Poltergeist e até a Bruna Ferraz. Só esqueceu da Bruna Surfistinha, da Juliana Paes (epa, essa não tem nada a ver com o papo). Citou até a Gretchen, menos a Tammy.
Bom, o interessante na verdade são os comentários. Tem gente malhando o texto, outros achando o texto sem pé nem cabeça, outro pedindo dica de como baixar filmes.
Coisa de doido, ou de fera.
Afinal o post tá rendendo um monte de visitas.
Vivendo e aprendendo. Voce pode pegar um monte de palavras indicadas pelo Google, colocar no blog, (não é necessário criar um texto lógico), um monte de malucos vão lê-las, e irão fazer comentários. O incrível é que dos comentários nascem até papos. Parece conversa de bebado após o expediente de sexta.
Mas funciona? Acho que não. Tô fora.

24 de jun de 2008

Mais vale fazer sorrir do que enfiar a cara no trabalho. Será?

Deu no Noticias do YAHOO.
Com título de "Fator gente boa precisa ser considerado nas organizações", o YAHOO publicou esta matéria do Marcelo Monteiro, da Gazeta Mercantil, hoje.

São Paulo, 24 de Junho de 2008 - Contar com pessoas amigáveis é mais importante para uma equipe de trabalho do que propriamente dispor dos profissionais mais competentes. A afirmação, que pode soar como um contra-senso numa época em que a competição é tão acirrada em todos os campos, é do especialista em marketing de relacionamento e estratégias para a internet Tim Sanders, chefe de soluções do Yahoo!, que participou ontem da abertura do World Management 2008, no World Trade Center, em São Paulo.

Na opinião de Sanders, em qualquer organização, mais vale atuar ao lado de alguém com pouco preparo para o cargo, mas que possa contribuir positivamente para o ambiente de trabalho, do que ter como colega alguém em quem não se possa confiar. "Você pode preparar uma pessoa para ser competente, mas não para ser amiga."

Por esta razão, o hoje palestrante motivacional diz que, ao selecionar pessoas para cargos importantes em uma empresa, deve-se realizar três "entrevistas". "Na primeira, sem currículo, deve-se olhar nos olhos e ver se esse profissional é uma pessoa boa", ensina Sanders, autor do livro recém-lançado O Fator Gente Boa, que descreve o poder da simpatia como uma forma de se cativar as pessoas e crescer profissionalmente.

Segundo Sanders, a análise do currículo e a avaliação da competência se dão apenas na segunda entrevista. Por fim, prossegue o especialista, para se legitimar a escolha, deve-se percorrer todos os setores da empresa, ao lado do candidato, em uma espécie de "entrevista coletiva", que avaliará a impressão dos colaboradores sobre o aspirante ao cargo. Desta forma, diz ele, também se reforça entre os funcionários um sentimento de que fazem parte e, mais do que isso, têm voz ativa na empresa.

Estratégias corporativas Além de Tim Sanders também palestraram no primeiro dia do World Management o estrategista da Toyota, Matthew E. May e o ex-governador do Rio Grande do Sul - atual coordenador do Grupo Temático da Reforma Tributária, no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social - Germano Rigoto. Já o presidente da Federação Nacional das Associações dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (FENADVB), Agostinho Turbian, participou na condição de moderador.

Para esta terça-feira estão previstas as apresentações de Chip Madera, com estratégias de marketing radicais para se alcançar o sucesso, Michael Payne (ex-diretor de marketing do Comitê Olímpico Internacional), responsável pela revolução comercial dos Jogos Olímpicos, e Maurício Eugênio, dono da Eugênio Publicidade, que falará sobre como se obter sucesso buscando novos mercados.

Já amanhã, último dia do evento, acontecerão as palestras de Stephen M. R. Covey, abordando liderança, confiança, ética e alta performance, Bernard Baumohl, renomado jornalista econômico, com 20 anos de atuação na revista Time, e Élcio Aníbal de Lucca, presidente da Serasa.

Marcando o encerramento do congresso, o presidente da ADVB-SP, Miguel Ignatios, que abordará as perspectivas do Brasil para 2014, em um coquetel para os executivos.

Este é o texto da matéria.
Deixando as ponderações de lado, tipo "o bonzinho nunca é demitido, porém nunca será promovido" do Max Gehringer (aquele cara que fala no Fantático e na CBN sobre emprego e até já está com livro na praça sobre esse assunto, afinal, se o camarada for de ótima ambientação com os colegas mas devagar no serviço, não acho que funcionará, não.
Se o profissional é ótimo mas terrível na convivência, claro, tá perdendo pontos pra ele mesmo. Pode até se dar bem com o emprego, mas com a galera, ferrou. E aí é preciso vencer dez batalhas diárias pra não estourar com os companheiros de empresa, e no caso, um dia pode acabar se ferrando, pois todos estarão contra ele.
Agora, se o profissional é muito devagar, pode até ser o queridinho da turma mas não terá vida longa.
O ideal, claro, é o profissional altamente competente, (homem ou mulher) super rápido, super esperto, conhecedor de tudo, super simpático e ainda não reclama do salário!
Bem, pro patrão, esse funcionário existe e está na concorrencia. É necessário contratá-lo.Pros funcionários, este profissional existe, é claro. Só o patrão não consegue vê-lo.
Mas eles se vêm.

PS. Eu conheci um Marcelo Monteiro no O Globo, só que não era redator, e sim um ilustrador incrível.
Era não. É. Todo dia ele está lá nas pags do Globo. Grande Marcelinho. Meu amigo da época do Jornal dos Sports, junto com o Barthô (Karate), mais um monte de feras.

20 de jun de 2008

Mais uma coisinha sobre impressão no InDesign

Visualizar ou exibir um resumo da impressão do livreto
A área 'Visualizar' da caixa de diálogo 'Imprimir livreto' permite rever miniaturas coloridas das páginas espelhadas criadas pelo estilo de imposição selecionado. Também é possível ver as marcas da impressora especificadas na caixa de diálogo 'Imprimir'.
Escolha Arquivo > Imprimir livreto.
Siga um destes procedimentos:
No lado esquerdo da caixa de diálogo, clique em 'Visualizar'. Para virar as páginas espelhadas, clique nas setas de rolagem. Clique na seta de rolagem esquerda para retroceder de um par de páginas espelhadas para outro. Você também pode arrastar a caixa de rolagem para alterar as páginas espelhadas.
Clique em 'Resumo' no lado esquerdo da caixa de diálogo 'Imprimir livreto' para visualizar um resumo das configurações atuais do livreto. Na parte inferior da área 'Resumo', verifique se há configurações conflitantes.
Se você clicar em 'Configurações de impressão' e alterar as configurações na caixa de diálogo 'Imprimir', poderá observar o efeito das modificações na área 'Visualizar'.

Ainda sobre impressão no InDesign

Deslizamento

A opção 'Deslizamento' especifica a distância das páginas em relação à lombada, para acomodar a espessura e a dobra do papel em documentos 'Grampeadas no centro' e 'Encadernação perfeita. O InDesign considera a “capa” do trabalho final como as páginas espelhadas mais externas e a “folha central” como as páginas espelhadas mais internas. O termo folha designa duas páginas espelhadas para impressora: a frente e o verso da folha. O incremento do deslizamento é calculado dividindo-se o valor de deslizamento especificado pelo número total de folhas menos um.
Por exemplo, um documento do InDesign com 16 páginas pode produzir oito páginas espelhadas ou quatro folhas. A frente da primeira folha consistirá no primeiro par de páginas espelhadas para impressora (as páginas 16 e 1), ao passo que o verso da primeira folha consistirá no segundo par de páginas espelhadas para impressora (as páginas 2 e 15).
Se o valor do deslizamento neste exemplo for de 24 pontos (uma quantidade exagerada, só para esclarecer melhor), o incremento do deslizamento será de 8 pontos por folha (24 dividido por 3). O deslizamento aplicado à folha mais externa será de 24 pontos, à segunda folha será de 16 pontos e à terceira folha será de 8 pontos. Não será aplicado um deslizamento à quarta folha e à folha mais interna.
O deslizamento de cada folha sucessiva é reduzido de acordo com o incremento do deslizamento. Em resumo, cada página da folha mais externa é movida 12 pontos (metade do valor de deslizamento de 24 pontos dessa folha), cada página da segunda folha é movida 8 pontos (metade do valor de deslizamento de 16 pontos dessa folha) e cada página da terceira folha é movida 4 pontos (metade do valor de deslizamento de 8 pontos dessa folha) na direção oposta à lombada.

Imposição de páginas no InDesign CS 3

Como fazer a imposição de um documento para impressão de livreto, folheto ou cartilha
O recurso ‘Imprimir livreto’ permite criar páginas espelhadas para impressão profissional. Por exemplo, se você estiver editando um livreto de 8 páginas, elas aparecerão em seqüência na janela de layout. No entanto, em páginas espelhadas, a página 2 fica posicionada ao lado da página 7, de modo que, quando as duas páginas forem impressas na mesma folha, dobradas e agrupadas, estejam na ordem apropriada.







As páginas são exibidas em seqüência na janela de layout, mas impressas em ordem diferente, a fim de aparecerem corretamente quando dobradas e encadernadas.




O processo de criação de páginas espelhadas para impressora a partir de páginas espelhadas de layout é denominado imposição. Durante a imposição de páginas, é possível alterar as configurações para ajustar o espaçamento entre páginas, margens, sangria e deslizamento. O layout do documento do InDesign não é afetado, pois a imposição é toda tratada no fluxo de impressão. Nenhuma página é embaralhada ou girada no documento.

Escolha Arquivo > Imprimir livreto.

Se uma predefinição da impressora tiver as configurações desejadas, escolha-a no menu ‘Predefinição de impressão’.
Para usar as configurações de impressão (conforme elas aparecem na caixa de diálogo ‘Imprimir’) do documento atual, escolha ‘Configurações do documento atual’ no menu ‘Predefinição de impressão’.

Se não quiser fazer a imposição do documento inteiro, selecione ‘Faixa’ na área ‘Configuração’ e especifique as páginas a serem incluídas na imposição.
Use hifens para separar números consecutivos de página e vírgulas para números não consecutivos de página. Por exemplo, se você digitar 3-7, 16, serão impostas as páginas de 3 a 7 e a 16.

Nota: Se você tiver dividido o documento em seções de números de página, digite os números de página das seções (como Sec2:11) no campo ‘Faixa’.

Para alterar configurações como marcas da impressora e saída de cores, clique em ‘Configurações de impressão’. Usando as opções à esquerda, altere as configurações conforme necessário e clique em ‘OK’.

Na caixa de diálogo ‘Imprimir livreto’, especifique outras opções de configuração de livreto conforme apropriado e clique em ‘Imprimir’.
Eu traduzi os comandos, mas se quizerem, posso postar em ingles
Depois vamos falar de espaçamento, sangria, imagens em folhas duplas, etç etç

17 de jun de 2008

Efeitos criativos em Titulos no InDesign CS3

O CS3 vem com uma novidade incrivel para quem trabalha com folhetos ou revistas e usa muito efeitos nos titulos.
Antes, voce criava os efeitos no Photoshop, salvava em tif (para impressão) e importava no programa de editoração.
Agora a coisa tá super simplificada. Voce faz tudo no InDesign CS3:
Vamos lá
Não selecione o titulo, selecione a caixa do titulo com a ferramenta "seleção" (seta preta)
Depois vai em Objetos / Efeitos (na barra de menus, lá em cima)
Na caixa que abre (Efeitos) voce encontra varias opções.

Efeito difusão de gradiente esmaece um objeto no fundo por meio de um gradiente ajustável linear ou radial.

Efeito difusão direcional aprimore a difusão personalizando o ângulo e a quantidade de difusão em cada lado.

Efeito chanfro e entalhe adicione destaques internos e sombras que criam um efeito de relevo.

Efeito acetinado aplica sombreamento interior, que cria um acabamento similar à seda.

Efeito sombra interna adiciona uma sombra que se projeta apenas no interior das bordas do conteúdo do objeto, dando-lhe uma aparência de baixo-relevo.

Efeitos brilho interno e brilho externo adiciona brilhos que irradiam das bordas internas e externas de um objeto.

Sugiro usar os efeitos em letras grandes.
O ideal é testar esses efeitos em várias fontes e corpos, pra ver o resultado.

12 de jun de 2008

InDesign - Fazer o texto fluir de modo manual ou automático

Para quem trabalha com muito texto, como revistas, folhetos e principalmente livros, temos uma ajuda na ferramenta texto que é super útil.

1 2 3

O ponteiro será convertido em um ícone de texto carregado (1) depois que você inserir texto ou clicar em uma porta de entrada ou de saída. O ícone de texto carregado permite fazer o texto fluir nas páginas. Mantenha pressionada uma tecla modificadora para determinar como é feito o fluxo do texto. O ícone de texto carregado muda de forma de acordo com o local em que é posicionado.
Quando você posiciona o ícone de texto carregado sobre um quadro de texto, o ícone (2) é mostrado entre parênteses. Quando o ícone de texto carregado é posicionado ao lado de uma guia ou ponto de aderência de grade, o ponteiro preto torna-se branco. (3)

Para fazer o texto fluir, use um destes quatro métodos:

Fluxo de texto manual

Adiciona texto a um quadro por vez. É preciso recarregar o ícone de texto para continuar o fluxo de texto.


Para usar a opção ‘Fluxo semi-automático’,
mantenha pressionada a tecla Alt (Windows) ou Option (Mac OS) ao clicar.

Funciona como o fluxo de texto manual, porém o ponteiro se transforma em um ícone de texto carregado toda vez que alcança o fim de um quadro, até que todo o texto tenha fluído para o documento.

Fluxo automático com Shift+clique.
Adiciona páginas e quadros até que todo o texto tenha fluído para o documento.

Para usar a opção ‘Fluxo automático de página fixa’,
mantenha pressionadas as teclas Shift+Alt (Windows) ou Shift+Option (Mac OS) ao clicar.

Faz fluir todo o texto para o documento sem adicionar quadros ou páginas. O texto restante é texto com excesso de tipos

E é isso aí. Se alguem não entendeu, se eu não consegui explicar direito, desculpem.

Me escrevam que eu aprimoro e mando por emal. E refaço o post.

Valeu!

11 de jun de 2008

PDF fechado para impressão: os problemas que poderão advir

Muito cuidado quando enviar arquivos para impressão através de email, msn messenger ou fpt.

Existem gráficas que não trabalham com o InDesign, e aí não adianta fechar um pacote para impressão. Como fazer para não correr riscos quando seu trabalho foi feito todo no InDesign, já está revisado, aprovado e fechado mas o pessoal da gráfica não têm o InDesign? A solução imediata é um pdf. Você exporta para PDF em alta resolução, adicionando fontes, linhas de cortes, tabelas de cor e etc. Mas será que só isso basta? Pois tive uma surpresa incrível com um trabalho onde o pdf abriu na grafica sem a fonte New Times Roman Italic. Todas fontes abriram, inclusive as New Times Roman Regular e Bold, menos a Italic.
O interessante é que no lugar do texto em itálico não ficou nada, apenas espaço. E o camarada lá da gráfica disse que o pdf ao abrir não acusou nenhum erro.
A gráfica, como não possui todos os programas de editoração, como a maioria delas, recorrem a uma saída simples: recebem qualquer pdf, importam para o Corel Draw, paginam o trabalho e dão saída daí, do Corel. Seja para fotolito, para vegetal ou qualquer outra coisa. Acaba sendo um trabalho automático. O camarada recebe o arquivo em pdf, nem abre, importa pro Corel (às vezes vai mais rápido, na base do Crtl C Crtl V mesmo) e pronto. Repaginam ou conferem se abriu e dão saída no arquivo. Como o texto do InDesign é corrido, quando uma fonte não abre (incrível não ter havido recíproca do programa) o texto não corre, permanecendo um espaço branco onde deveriam aparecer as fontes (os textox) sumidas. E aí fica um buraco no texto.
Neste caso que me aconteceu, a melhor e mais rápida saída foi exportar o trabalho todo, pagina por pagina, em arquivos separados, em imagens jpg em alta resolução. CMYK claro, era pra gráfica. O camarada da gráfica recebeu as imagens, importou pro Corel e deu a saída que precisava dar. Sem problemas. Sem problemas uma ova!
Se o programa foi feito para exportar para impressão, e exportou, então por que houve o erro? E que negócio é esse de tranformar textos em imagens para impressão? Imagine um livro de 1.800 páginas, ou uma revista ou catálogo ou lista de ruas ou telefônica? Decididamente não é a saída.
Ou você produz seu trabalho num programa que a gráfica ou birô tenham, ou acho que já passou da hora de todos usarem os mesmos programas. Enquanto isso, vamos transformando tudo em imagens para impressão.Você sabia que quando faz um trabalho no Corel Draw, e transforma em curvas, as letras engrossam? Elas se deturpam. Claro que nenhum leitor vai ficar ali olhando pro contorno das letras pra ver se estão ou não legais, se estão certinhas. Não existe um trabalho tão refinado que não se possa usar este recurso (ótimo). Pena que o Corel não desenvolveu um editor de texto à altura da demanda. Sempre ficou atrás dos produtos da Adobe. Também, Corel, em artes gráficas é ótimo para trabalhos de pouco texto, ou melhor, sem blocos de textos, tipo cartazes, panfletos, filipetas, anuncios. Muito bom para criar capas. Pena que nas capas de livros, os textos de orelhas sofram um pouco, e não são muitos os bons profissionais que sabem criar uma orehla no Corel que fique redonda. Tem uns malucos que usam umas fontes boas de títulos, que não possuem caixa baixa, e botam essas fontes nas orelhas, em corpo pequeno. O resultado é uma coisa pavorosa, criando rios entre as colunas, aqueles espaços brancos entre as palavras. Coisa de doido. Ou de designer. Mas voltando ao papo do InDesign para impressão.
É pedreira, cada dia voce descobre uma coisa nova. Aliás duas. Uma boa e outra ruim. Daí você resolve o problema, e aprende que da coisa ruim veio uma outra boa, ou seja, aprendeu mais um pouco. E é isso aí. Ninguem sabe tudo, ninguem conhece tudo sobre esses programas e suas capacidades. Nem seus truques e defeitos. Vivendo e aprendendo.
E fazendo. Isso sim é o principal.
Já se dizia que só não erra quem não faz.
Seja voce, o cara da grafica ou do birô, seja o impressor, a máquina de dobra ou corte, ou mesmo o distribuidor.
Só quem não pode errar são o vendedor e o editor.

Valeu.

Desculpem o desabafo