31 de mar de 2008

Como postar o texto corretamente

Alguém aí pode me dar a dica como postar o texto direito?
Eu queria que só o primeiro parágrafo aparecesse, ficando com um link tipo: LEIA MAIS ou CONTINUA.
Já rodei o help inteiro, fui em mil tutoriais, revirei o blog da Juliana Sardinha (Dicas de Blog) e o blog TRETA do Ivo Neuman, mas nada de encontrar o caminho das pedras. Acho que sou burro demais pruma coisinha tão simples. Mas vou continuar batalhando. Pelo menos, nessa busca, estou catalizando altas dicas.
Vamos nessa.

Awake - Jumper - filmes que você não pode perder... ou não

Finalmente vi o filme Jumper. Não é lá grande coisa. Tem efeitos interessantes, a idéia é boa, mas no final você sai do cinema com aquele gostinho de "só isso?". Talves venha um Jumper II com um roteiro melhor e a coisa funcione. Bom mesmo é quando aparece o título do filme, que depois some deixando no ar uma mancha esbranquiçada, entregando logo como é feito o teletransporte dos personagens.

Awake - Desperte. Acorde! Tão metendo a mão no teu coração!
O roteiro é muito bom, pelo menos pra mim que conheço pouco cinema. A cena do transplante (o médico abrindo o peito do cara com uma serra e depois com um aparelho pra afastar as costelas é terrível! E aí tem um barulhinho e um médico pergunta: O que foi isso? - e o outro responde, dando de ombros: Acho que lá se foi uma costela.
Um filme em que você sai do cinema respirando leve, prá não cansar o coração, e se alguma gatinha linda te olhar mais insistente, provavelmente voce vai fingir que não viu.
É isso

InDesign, CS2 e CS3 - Criar tabelas

Criar tabelas
Você pode criar tabelas a partir do zero ou da conversão do texto existente. Pode também incorporar uma tabela em outra.


Vamos lá. Criar uma tabela a partir do zero.
A tabela criada preencherá a largura do quadro de texto.
Com a ferramenta ‘Tipo’ , posicione o ponto de inserção no local em que deseja exibir a tabela.
Escolha Tabela > Inserir tabela.
Especifique o número de linhas e colunas.
Se o conteúdo da tabela se estender por mais de uma coluna ou quadro, especifique o número de linhas de cabeçalho ou de rodapé para as informações a serem repetidas.
(Opcional) Especifique um estilo de tabela.
Clique em ‘OK’.

A altura da linha de uma tabela é determinada pelo estilo de tabela especificado. Um estilo de tabela pode, por exemplo, usar estilos de célula para formatar diferentes partes da tabela. Se qualquer desses estilos de célula incluir estilos de parágrafo, o valor de entrelinha dos estilos de parágrafo determinará a altura da linha dessa área. Se não for usado nenhum estilo de parágrafo, o espaçador padrão do documento determinará a altura da linha. O espaçador baseia-se no valor de entrelinha. Neste contexto, um espaçador corresponde à altura aproximada do destaque no texto selecionado.

Criar uma tabela a partir do texto existente
Antes de converter o texto em tabela, verifique se o texto foi configurado corretamente.
Para preparar o texto para conversão, insira tabulações, vírgulas, retornos de parágrafo ou outro caractere para separar colunas. Insira tabulações, vírgulas, retornos de parágrafo ou outro caractere para separar linhas. Em vários casos, o texto pode ser convertido em uma tabela sem precisar ser editado.
Com a ferramenta ‘Tipo’ , selecione o texto a ser convertido em tabela.
Escolha Tabela > Converter texto em tabela.
Indique no ‘Separador de coluna’ e no ‘Separador de linha’ o local em que as novas linhas e colunas devem começar. Escolha ‘Tabulação’, ‘Vírgula’ ou ‘Parágrafo’ ou digite o caractere, como ponto-e-vírgula (;), nos campos ‘Separador de coluna’ e ‘Separador de linha’ (qualquer caractere que você digitar aparecerá no menu na próxima vez que criar uma tabela a partir de texto).
Se você especificar o mesmo separador para colunas e linhas, indique o número de colunas que a tabela deverá conter.
(Opcional) Para formatar a tabela, especifique um estilo de tabela.
Clique em ‘OK’.
Se uma linha tiver menos itens que o número de colunas da tabela, a linha será preenchida com células vazias.

30 de mar de 2008

Adsense: problemas e soluçõe em pags com frames

Uma dica pra quem está começando a colocar anuncios do Adsense em sites ou blogs com várias páginas.
Acabo de descobrir que os mecanismos de leitura que contabilizam e controlam os anúncios, não funcionam bem em páginas que contenham frames. Recebi a dica de colocar os codigos na pag principal (que controla os frames), ou simplesmente não utilizar frames.
Bem, não sei se a dica é certa ou não, mas por via das dúvidas refiz uma parte do meu site, onde falo da minha cidade natal, Jardinópolis, transformando todas as paginas em únicas, eliminando todos frames.
Claro que com isso, a quantidade de pags para alocar os anúncios do Adsense diminuiram, mas achei melhor não arriscar. Além do fato de alguns programas de navegação não abrirem frames.
Bem, fica aí a dica

28 de mar de 2008

Tutorial Indesign - Colunas, linhas e tabelas

Redimensionar colunas, linhas e tabelas

Vamos lá.
Para redimensionar colunas e linhas, selecione as células nas colunas e linhas a serem redimensionadas.
No painel ‘Tabela’, especifique as configurações de ‘Largura da coluna’ e ‘Altura da linha’.
Escolha Tabela > Opções de célula > Linhas e colunas, especifique ‘Altura da linha’ e ‘Largura da coluna’ e clique em ‘OK’.


Nota: Ao selecionar ‘No mínimo’ para definir uma altura mínima de linha, a altura das linhas aumentará quando você adicionar um texto ou aumentar o tamanho do ponto.
Ao selecionar ‘Exatamente’ para definir uma altura fixa de linha, a altura da linha permanecerá a mesma quando você adicionar ou remover texto. Uma altura fixa de linha normalmente resulta em excesso de tipos na célula. Consulte Trabalhar com células com excesso de tipos.
Posicione o ponteiro na borda de uma coluna ou linha para exibir um ícone de seta dupla (ou) e arraste-o para a esquerda ou para a direita para aumentar ou diminuir a largura da coluna, ou para cima ou para baixo para aumentar ou diminuir a altura da linha.

Antes e depois de arrastar para redimensionar linhas

Por padrão, a altura da linha é determinada pela altura do espaçador da fonte atual. Assim, a altura da linha será alterada se você alterar o tamanho de ponto do tipo para linhas de texto inteiras ou a configuração da altura de linha.
Redimensionar linhas ou colunas sem alterar a largura da tabela
Mantenha pressionada a tecla Shift enquanto arrasta uma borda interna de linha ou coluna (não o limite da tabela). Uma linha ou coluna ficará maior à medida que a outra ficar menor.
Para redimensionar linhas ou colunas proporcionalmente, mantenha pressionada a tecla Shift enquanto arrasta a borda direita ou inferior da tabela.
Se você mantiver pressionada a tecla Shift enquanto arrasta a borda direita da tabela, todas as colunas serão redimensionadas proporcionalmente. Se mantiver pressionada a tecla Shift enquanto arrasta a borda inferior da tabela, todas as linhas serão redimensionadas proporcionalmente.


Redimensionar a tabela inteira

Com a ferramenta ‘Tipo’ , posicione o ponteiro no canto inferior direito da tabela para alterá-lo para a forma de seta . Em seguida, arraste para aumentar ou diminuir o tamanho da tabela. Mantenha pressionada a tecla Shift para manter as proporções de altura e largura da tabela.

Nota: Se a tabela se estender por mais de um quadro em uma matéria, o ponteiro não poderá ser usado para redimensionar toda a tabela.

26 de mar de 2008

Jumper - Dark Place

JUMPER
Não vi ainda, simples falta de tempo. Mas quem é Rachel Bilson? e Anna Sofia Bloc? Não me lembro dessas atrizes em outros filmes. Rachel Bilson é uma verdadeira gatassa. Depois entro em detalhes sobre a perfomance plástica da personagem
DARK PLACE
Um filme muito interessante com fantasmas e bons sustos. Bom terror. O curioso é que tem outro filme chamado IN THE DARK PLACE, que nada tem a ver com ele. Também muito bom, pra quem gosta de terror com sustos sem festival de sangue.

A INVENÇÃO DO QUEIJO FEITO DE LEITE DE CABRA

Foi na Grécia Antiga, muito Antiga Mesmo, que viveu o Fabuloso Filósofo Xerxes, mais conhecido como Pereirinha. De família simples, como a maioria dos filósofos daquela época (seu pai tinha uma mercearia onde vendia de tudo, de pão à carnes, de feijão à laticínios, além de cereais, hortaliças, farináceos e outros bichos de nomes estranhos, agregados aos fartos mantimentos, tais como ratatorios, baratinídeos, etc. etc e etc.), Xerxes cresceu cuidando das cabras, da mercearia, das entregas e da limpeza, e logicamente da única empregada/ajudante/faz-tudo, que alem de ser uma gracinha, tinha um corpaço de entortar qualquer pescoço de qualquer grego que que porventura por ela passasse, na horizontal ou mesmo na vertical. Quero dizer, pra direita ou pra esquerda, o pescoço dos gregos, bem entendido. Mas como dizia, o Xerxes vivia sua vidinha pacata e sem muitas novidades, se dedicando a cuidar da mercearia, cuidar das cabras, cuidar da empregada/ajudante/faz-tudo, nessa ordem, chovesse ou fizesse sol, sempre na mesma monotonia em que viviam todos aqueles gregos habitantes da área, área essa não muito extensa, apesar das montanhas, dos vales, dos rios, das nuvens e esses troços todos que a gente vê nas gravuras. Bom, o negócio é que naquela época, ninguém consumia o leite das cabras, bicho muito feio (menos pros garotos iniciantes na vida adulta), considerado menos nobre que a vaca, essa sim, rainha absoluta do fornecimento de utilitários comestíveis para os pacatos gregos, além de fornecer o couro para os estofados e tapetes, os chifres pra fabricarem artesanalmente os pés super trabalhados de mesinhas de centro, fornecia a carne dos churrascos dos bacanas, os miúdos das sopas dos bacanas, o leite dos queijos, iogurtes e afins dos bacanas, os cílios para fabricação de espanadores e escovas super macias dos bacanas...Ah sim. Bacana era o nome dado aos que possuíam as tais vacas. Às cabras cabia apenas a função de serem sacrificadas aos deuses, depois de parirem e alimentarem seus filhotes. Os Bananas, criadores de cabras, tinham uma fonte de renda vendendo os bichos pros Bacanas, que acreditavam que o sacrifício do animal livrava a cara deles do fogo do inferno, que na verdade ainda não havia sido inventado. Só muitos e muitos tempos depois é que apareceu a expressão fogo dos infernos, mas aí também já é outra história.
Continua no blog de ontem. Vai lá ver.

Indesign, Indesign CS2 e Indesign CS3

Vamos, passo a passo, ensinar como usar o programa.
É ideal que voce tenha experiência em diagramação / editoração eletrônica, e se for usuário do PageMaker, melhor ainda. Os comandos do InDesign são muito semelhantes ao do PM, só que com melhoras infinitas. É como trocar o velho fusca por uma ferrari. Se você estivesse numa auto estrada sem nenhum outro veículo à vista, certamente iria experimentar. Sem contar que nessa autoestrada, além de não ter paisagem nenhuma, o que você mais quer é ganhar tempo e fazer um trabalho impecável, com um software que disponibiliza ferramentas especiais para trabalhar com textos, fotos, gráficos, tabelas etc. etc. etc. O principal, eu acho, é você aprender bem o programa, procurar tirar o máximo dos recursos, não ter preguiça de aprender. Também não simplifique as coisas, por exemplo: conheço designers que não costumam usar estilos, mesmo trabalhando com livros. Isso é um erro fundamental. Usando estilos você está se prevenindo de perder tempo mudando um monte de títulos, subtítulos, entradas e alinhamentos específicos de textos, enfim, não usar determinados recursos do programa (que os caras que os criaram, tiveram um trabalhão danado para facilitar a sua vida) só quem vai perder é você. E vai se lamentar mesmo, pode crer. Outra coisa, não ter medo de começar a usar o programa. Não deixe para amanhã, para um próximo trabalho. Pegue logo o que tiver na mão, abra o InDesign e enfrente o leão. Daí a pouco você vai estar domando a fera. Não tem mistério. O tutorial Nesse tutorial, eu vou seguir um passo-a-passo bastante meticuloso. Se você já tem alguma experiência, pule pro próximo link. Do jeito que estou ensinando é bom pra quem ainda tá engatinhando no programa. Vamos tentar ajudar a todos que estiverem interessados. Eu procurei dividir todos os itens do programa. Cada ferramenta, cada recurso. Não vou começar ensinando como instalar, como criar arquivos novos etc porque isso todo mundo já sabe. Se alguem tiver alguma dúvida, pode escrever que eu respondo. Bem, vamos lá.

25 de mar de 2008

Tutorial sobre o InDesign.

Pois bem, a Adobe lançou o InDesign não só pra substituir o PageMaker, mas em face da concorrência do QuarkPress, já que o Ventura acho que ninguem mais usa.
O PageMaker reinou absoluto durante vários e vários anos, tanto que a versão 6.5 deve ter ficado pelo menos uns 20 anos até aparecer o PageMaket 7.0, considerando que todo ano aparece uma versão nova de um programa qua tá rolando na praça, isso é um feito e tanto.E com o crescimento do Quark, claro que a Adobe tinha que correr atrás. Me lembro que quando trabalhei no Jornal dos Sports, nos idos de 19..., era o Quark que comandava toda paginação. No departamento de arte usávamos mais o Corel Draw.
Mas isso tudo é história, vamos ao que interessa.
Quero aproveitar este espaço, além de ensinar o programa, mostrar truques e dar dicas de como incrementar seu trabalho, reduzir o tempo gasto e resolver problemas quase insolúveis, que todos programas apresentam.
No InDesign mesmo tem um problemaço, que derruba a maioria dos diagramadores: notas de rodapé estensas, que passam para a pagina seguinte, ou então, textos com várias notas de rodapé em uma só linha.
O programa
Vamos, passo a passo, ensinar como usar o programa.

Dica de filme:XXY

Filme argentino. XX é feminino, XY é masculino.XXY não é gay, é hermafrodita.Apesar de ser um filme sobre uma garota que nasce com os dois sexos, e seus problemas de relacionamento, na verdade é um filme sobre pais e filhos (como na música do Renato Russo-Legião Urbana).Relacionamento que apesar de toda tecnologia, avanços culturais, globalização, continua dificil, desencontrado.Os pais sempre passam para os filhos suas neuras, os filhos sempre dependentes dos exemplos paternos, pra copiar ou pra contestar, numa ciranda desenjeitada como um círculo que não se fecha nunca. Mais pra espiral do que pra círculo. E assim é XXY, um filme sobre uma familia para uma familia.

A HISTÓRIA DA VIDA DO FILÓSOFO GREGO XERXES ARISTOTELIQUOS PEREIRA DE OLIVEIRA, QUE ENTRE OUTRAS COISAS, INVENTOU O QUEIJO FEITO DE LEITE DE CABRA

Continuando o texto de amanhã.
Como Xerxes (lembram dele?) era um garoto muito esperto, fazendo bonito na roda de amigos, paquerado pela meia dúzia de greguinhas tacanhas do bairro, aquele tipo de cara que começa qualquer frase, mesmo que seja uma resposta à qualquer pergunta com:
- Então..., como hoje responde qualquer celebridade entrevistada por qualquer energúmeno pseudo entrevistador, resolveu um belo dia chacoalhar a cabra pra ver o bicho que dava.
Desculpem, tá estranho. Ele não chacoalhou a cabra, nem chegou junto da cabra, também não precisava, afinal tinha a tal da empregada/ajudante/faz-tudo etc e tal. Não é nada disso. O lance é que o cara tava lá de bobeira no pasto, olhando a mesma paisagem de sempre com aquelas cabras vagabundeando pelas montanhas sem nenhum lugar definido pra ir, mais chateadas que o próprio dono, afinal essas paisagens são bonitas no cinema que além de música duram poucos segundos, imagina você ficar andando sem rumo sem pressa sem nada numa montanha chata cheia de pedras capim mosquitos e outras merdas mais, o dia não passa nunca. E assim tavam eles lá, o Xerxes e as cabras e nada de novo iria acontecer se não fosse a intervenção divina da fabulosa empregada/ajudante/faz-tudo que pintou na área correndo esbaforida gritando Xerxim Xerxim Xerxim...Descia a montanha numa corrida tão grande que tropeçou caiu quicou três vezes levantou correu novamente caiu de novo quicou outras três vezes e só parou de rolar quando já tava a menos de dois metros do cara que abestalhado só balbuciava caraca caraca caraca muito mais de três vezes - a cada quidada era uma caracada - e mais abestalhado ainda pergunta pra galeguinha digo greguinha que parara finalmente dentro do balde de água para aliviar a sede dos personagens: caramba mas que maluquice é essa de você brincar de pular no balde cheio de água com esse ganço debaixo do braço? – E a greguinha responde séria: pô, acabei esquecendo do bicho que eu tava depenando e que quase se afoga agora. – Ta bom, diz Xerxes, depois a gente cuida disso, mas o que foi que houve? O que está acontecendo? Quem morreu? Que dia é hoje? Que horas são? – Dá pra sacar que o cara era meio desligado, né. E a greguinha faz-tudo-de-boa-vontade-pau-pra-toda-obra: Ferrou patrãozinho, as vacas pararam de dar leite. Acho que é uma greve, epidemia ou o fim do mundo. E o greguinho com cara de idiota: Ué, que qui tem se elas não querem mais dar leite? – E a greguinha boazudinha: Ah? entendeu não? Ta doidão, ta? – E o greguinho babaca: Qualé? – E a greguinha já rebolando a traseira com as mãos na cintura, segurando a saia pra não cair (ela usava uma saia estampada muito bonita mas que com a queda e o fato de já ter passado do prazo de validade de uso –a saia – tava toda em farrapos, já não tapando nem mais a tatuagem tribal que trazia no cocix, e mesmo assim a greguinha inda segurava os farrapos talves de vergonha das cabras ou talves pelo costume que toda greguinha tem de segurar a saia mesmo que esta esteja em farrapos e mesmo que já não cubra nem mesmo a tatuagem tribal do coccix mesmo, né não? E tava lá a greguinha segurando o ...e o idiota do cara olhando pra cara dela e...- Te explico, disse a greguinha, se as vacas não mais derem leite os Bacanas ficarão sem queijo, oras pois, e aí...
E aí o babaca do Xerxes interrompeu a garota nervosa quase nua nos farrapos que mal tapavam a tatuagem tribal no cocccix e a incrível idéia de fazer queijo com leite de cabra ficou para outro hora já que ele tava mais interessado era nas pernas da graguinha e não nas tetas das cabras o que pensando bem era o certo a fazer, pelo adiantado do papo que só iria acirrar os ânimos, né não? E assim a bela e fabulosa boazuda empregada/ajudante/faz-tudo esqueceu do mundo e a paisagem ficou bem mais interessante com aquele engalfinhar de mato sendo amassado e pedras rolando e as cabras pulando dum lado pro outro atiçadas com a cena nada dantesca (e Dantes nem existia ainda!) em pleno pôr do sol.
E o sol que tava a pino acabou desabando de vez.
E assim termina essa parte da nossa historia da invenção do queijo com leite de cabra, invenção essa que foi posterior a criação da mussarela de búfala, que não foi na Grécia Muito Muito Antiga e sim nas pradarias da Californication digo Califórnia milênios antes dos índios serem dizimados ou dizimarem o Gal. Custer, mas depois, amanhã talvez eu continuo o papo do queijo, isso claro se as cabras e a empregada/ajudante/faz-tudo boazuda permitirem.
Bom, então, até lá.